notícias

a festa

Flip 2014: dia 4

O fim de semana da 12ª Flip começou agitado. As entranhas do sistema político corrompido dos EUA e o poder do jornalismo foram o foco da primeira mesa deste sábado (2), “Liberdade liberdade”. A conversa reuniu Glenn Greenwald, autor das reportagens que revelaram o escândalo da espionagem americana, e Charles Ferguson, autor do documentário Trabalho interno, sobre a crise financeira de 2008, premiado com o Oscar de Melhor Documentário em 2011.


A mesa “Memórias do Cárcere: 50 anos do golpe” recuperou os anos de chumbo da ditadura por meio das emocionantes histórias de Marcelo Rubens Paiva, filho de desaparecido, Bernardo Kucinski, irmão de desaparecida, e Persio Arida, ele próprio preso e torturado aos 18 anos.


A fronteira do México e o Estado de Israel, territórios que conjugam a visão do paraíso e a presença da violência, foram tema da mesa “A verdadeira história do Paraíso”, que reuniu o israelense Etgar Keret e o mexicano Juan Villoro. 


Os antropólogos Beto Ricardo e Eduardo Viveiros de Castro teceram, na mesa “Tristes Trópicos”, uma conversa sobre os direitos e perigos vividos pelos povos indígenas e como teremos que aprender a viver num mundo diferente daquele que estamos produzindo se quisermos sobreviver.


No “Encontro com Jhumpa Lahiri”, a escritora vencedora do Pulitzer, que transita entre três línguas, falou da condição de estrangeira, central em sua obra, e de seu percurso geográfico e linguístico.


Na última mesa da noite, "Narradores do Poder", os tarimbados repórteres David Carr, americano, e Graciela Mochkofsky, argentina, discutiram as possibilidades atuais e futuras para o jornalismo num mundo de informação cada vez mais fragmentada. 


FlipMais

A FlipMais começou com a mesa “O estilo Millôr”, dedicada ao homenageado deste ano, em que o cartunista Chico Caruso e o humorista Reinaldo comentaram a liberdade e a modernidade do Guru do Méier. Na mesa “Biblioteca na escola: leitura e letramento”, especialistas em políticas públicas debateram como as escolas do Brasil podem estimular a intimidade com os livros. A programação do dia contou ainda com uma mistura de poesia e performance musical em “Spoken Word”, teatro inspirado em Shakespeare em “Eu, Malvolio” e a exibição do filme crônicasNÃOditas, com direção do Manifesto Impromptu. 


Flipinha 

Na Flipinha, os destaques ficaram por conta dos encontros com os escritores Luís Dill e Leo Cunha, a dupla de ilustradoras Luciana Grether Carvalho e Laura Teixeira, que incentivaram a produção criativa do público infantil por meio de recortes e colagens, e Roger Mello, ganhador do aclamado prêmio Hans Christian Andersen de ilustração. A programação foi encerrada com o mesão Homenagem a Millôr Fernandes, que contou com onze dos autores convidados.

share
Logo da Casa Azul