noticias

novidades

Os shakespearianos estão chegando!

Estudiosos das obras e da vida de William Shakespeare, os norte-americanos Stephen Jay Greenblatt e James Shapiro confirmam presença na Flip(Festa Literária Internacional de Paraty), que realiza sua décima edição de 4 a 8 de julho de 2012. 

Em livros lançados separadamente no Brasil no ano passado, os dois autores tratam das polêmicas envolvendo a real identidade do dramaturgo. 

Sob o título Como Shakespeare se tornou Shakespeare, a mais recente obra de Stephen Jay Greenblatt esteve por nove semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times

Ali, propõe uma interpretação original e inovadora da obra do bardo, relacionando fatos de sua biografia ao conteúdo de suas peças. Em uma das passagens mais interessantes, estabelece, por exemplo, um vínculo entre um espetáculo apresentado à rainha Elizabeth, durante a infância de Shakespeare e algumas passagens de Sonho de uma Noite de Verão. O livro ainda desenvolve uma análise cuidadosa sobre os mecanismos de criação do maior dramaturgo de todos os tempos. 

James Shapiro, outro dos mais respeitados acadêmicos shakespearianos do mundo, se debruça sobre a controvérsia histórica que dividiu os estudiosos: seria Shakespeare o autor de todas as peças a ele atribuídas? Teria ele realmente existido? Depois de lançar o premiado 1599 – Um ano na vida de William Shakespeare, Shapiro continua a defender em seu último livro – Contested Will: Who Wrote Shakespeare?– a autoria do dramaturgo, rebatendo as hipóteses especulativas aventadas ao longo dos séculos 19 e 20 de que Shakespeare seria uma fraude ou a assinatura encobridora de um personagem mais ilustre. 

“Defendo o talento artesanal”, afirma Shapiro, assinalando que “o mundo teatral de Shakespeare era um coletivo, e a maioria das peças era fruto de colaboração entre escritores, atores e outros. O próprio Shakespeare teve, ao menos, três coautores. Não se pensava em termos de créditos. Insistir que alguém fez questão de se esconder atrás de um pseudônimo é mostrar incompreensão sobre o período.” 

No livro 1599 – um ano na vida de William Shakespeare, Shapiro concentra o foco num momento específico da trajetória de Shakespeare, proporcionando, a partir dessa abordagem, um retrato amplo de toda a sociedade inglesa da época. O ano de 1599 foi crucial para o desenvolvimento artístico de Shakespeare, assim como as reviravoltas históricas que ocorreram naquele período.

Mais sobre Stephen Jay Greenblatt


Nasceu em Boston, no dia 7 de novembro de 1943, e cresceu em Cambridge, Massachusetts. Estudou em Yale e no Pembroke College (Cambridge). Foi professor da Universidade da Califórnia em Berkeley, onde ensinou por 28 anos, tornando-se posteriormente professor de Língua e Literatura Inglesa e Americana na Faculdade de Artes e Ciências de Harvard. No meio acadêmico, o autor é conhecido como o fundador do “novo historicismo” (New Historicism), movimento crítico surgido no fim dos anos 1980 que procurou restaurar a dimensão histórica dos estudos literários em contraponto à orientação linguística defendida pelo estruturalismo stricto.

Mais sobre James Shapiro


James S. Shapiro nasceu no dia 11 de setembro de 1955 no bairro do Brooklyn, em Nova York. Após um período como professor do Dartmouth College e do Goucher College, passou a integrar, em 1985, o corpo docente do Departamento de Literatura Comparada da Universidade Columbia, como especialista em Shakespeare e no "Período Moderno". É consultor de companhias de teatro, entre as quais a renomada Royal Shakespeare Company, britânica. Vive em Nova York com a esposa e o filho e tem resenhas e artigos publicados em jornais como The New York Times, The Guardian, Los Angeles Times e Financial Times.

share
Logo da Casa Azul